Olá!

Há algum tempo li uma entrevista muito legal com a Maria Glukova que conta como foi a sua experiência no programa Outreachy. Como a entrevista estava em inglês, achei que seria legal traduzir para que mais pessoas possam ler! Ela conta como foi a a sua candidatura e o projeto que desenvolveu para o Debian.

Shirish – Maria, fale sobre você
Maria – Não me considero um bom exemplo para futuros estagiários do Outreachy. Eu sinto que poderia ter feito muito mais. Mas de qualquer forma, eu estarei feliz em ajudar em algo que promova o Debian, Eu amo o Debian e a sua comunidade e eu gostaria de fazer parte dela.

ShirishComo e quando você ficou sabendo sobre o Outreachy?
Maria – Eu vi sobre o Outreachy no Twitter – um de meus amigos retweetou o tweet da Sarah Sharp sobre ele.

Shirish – Você já tinha participado do Outreachy ou outro programa de estágio antes dele?
Maria – Não. Agora, pensando nisso, eu realmente acho que deveria ter iniciado antes. Exatamente agora estou no meu último ano na universidade e sinto que estou ficando sem tempo. Mas antes deste ano eu ouvi falar somente sobre o GSoC e eu sempre pensei que isso era algo para estudantes muito, muito espertos. Não para mim.
Agora eu definitivamente aconselharia qualquer estudante e, na verdade, qualquer pessoa que dê seus primeiros passos na indústria da tecnologia para buscar estágio como este. Mesmo que você não entre na primeira tentativa, você ainda pode aprender muito com a tentativa.

Shirish – Por favor, compartilhe um pouco sobre o seu projeto com um pouco de detalhes.
Maria – Eu vi a página do reproducible build e parecia precisar de várias pequenas correções em muitos lugares.

Shirish – Existem algumas partes específicas que você está olhando/contribuindo, ou você está contribuindo com vários pacotes/aplicações diferentes ?
Maria – O meu trabalho era focado no Diffoscopo – ferramenta específica que é usada através do projeto Reproducible Builds. Eu não participei do trabalho “principal” de reprodutibilidade dos pacotes do Debian (ou seja, eu não enviei correções para pacotes específicos), mas eu espero que meu trabalho no Diffoscopo ajude a identificar mais facilmente os problemas com a reprodutibilidade, contribuindo assim indiretamente para corrigi-los.

Shirish – Pelo pouco que eu pude compreender, Outreachy acontece duas vezes por ano. Pelo passado histórico deles, na última rodada que você participou foram 13 outras organizações, você tentou se candidatar também para alguma daquelas outras ? Se sim, o que levou você a escolher o Debian ao invés das outras ?
Maria – Eu não tentei me candidatar para nenhuma outra organização. Na verdade, na época que eu iniciei a candidatura, o Debian era a única organização que eu realmente queria muito trabalhar. Eu não tenho certeza de que tentaria me candidatar o em outro lugar se o Debian não estivesse na lista. Sou uma usuária do Debian já há 3 anos e a possibilidade única de me tornar parte da sua comunidade, fazendo algo útil “de volta”, foi fascinante o suficiente para que eu superasse os meus medos e me candidatasse.

Shirish – Houve alguma concorrência quando você se candidatou para o projeto escolhido e se existiu, quais estratégias (se houve) você escolheu para ter certeza que seria escolhida?
Maria – Infelizmente não houve quase nenhuma concorrência para o projeto Reproducible Builds.

Shirish – Quando você conversava com os mentores, qual era a sua forma preferida para perguntar e/ou expor comentários, opiniões, etc – IRC, IM, E-mail ou algum outro meio? Se você escolheu todos os meios para conversar, por que você precisou fazer isso? Se você escolheu um determinado meio de comunicação, por favor diga, porque esse método foi o escolhido ao invés dos outros?
Maria – Eu usava o IRC. Foi ele principalmente porque IRC era a maneira preferida pelo meu mentor. Mas para mim, foi uma boa chance legal de ter uma ideia de como a comunicação funciona na comunidade Debian.

Shirish – Existe uma janela curta entre procurar por um projeto, tentar ver as vantagens e desvantagens e então se comprometer com um projeto. Quais fatores levaram você a reservar um tempo especificamente para o seu projeto?
Maria – A comunidade foi amigável e receptiva como eu esperava que seria. Meu mentor estava me fornecendo feedbacks e orientações valiosas durante a contribuição inicial. Tem como não gostar?

Shirish – Por favor compartilhe o link da sua candidatura.
MariaOutreachy page of the application

Shirish – Quais foram os desafios interessantes que você esperava, e que você não esperava ou previu durante o projeto?
Maria – Testes. Passei mais tempo do que provavelmente eu esperava para aprender como configurar um ambiente de testes, como o pacote do Debian é construído (alguns erros que eu estava trabalhando estavam acontecendo durante o processo de construção). Apesar disso, eu estava feliz por aprender essas coisas.

Shirish – Você pode disponibilizar screenshots do trabalho que você está fazendo para compartilhar?

Maria – Não tenho certeza o que poderia ser colocado aqui mas aqui mas, por exemplo, como a saída html do Diffoscopo rodando diferentes tipos de contêineres se pareceria uma vez que minhas mudanças fossem aceitas (Esse era um dos objetivos – fazê-lo comparar, por exemplo arquivos .ZIP com .TAR.GZ ).

A fonte original da entrevista em inglês feita pelo Shirish Agarwal pode ser acessada aqui:

https://itsfoss.com/interview-with-maria-glukova

Sobre a edição que a Maria participou https://wiki.gnome.org/Outreachy/2016/DecemberMarch

Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *