Olá pessoal,

No dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher e como o blog é voltado para o público feminino, não poderia deixar de lado uma homenagem. Ao longo do mês vou fazer posts especiais para apresentar histórias de mulheres de destaque no mundo da tecnologia.

E para começar, hoje vou mostrar um pouco da história de duas mulheres consideradas as pioneiras na computação: a Ada Byron (1815-1852) e Grace Hopper (1906-1992).

Ainda hoje muitos não sabem que uma mulher foi primeira programadora da história, e ela era a Ada Byron, uma matemática que segundo a história foi incentivada pela mãe a ingressar no mundo científico. Em uma trabalho de tradução da máquina analítica de Babbage* ela deu início ao que chamamos hoje de programação, descrevendo o que foi considerado o primeiro programa de computador da história.

Segundo o Carvalho (1): “Ada é considerada como a primeira mulher programadora de computadores do mundo. Ela inventou inúmeras técnicas de programação, entre elas o comando condicional IF-THEN, o conceito de tipos, operadores, matrizes e loops, assim como a utilização do sistema binário ao invés do decimal.”

Outra grande mulher na computação foi da Grace Hopper, formada em matemática e física, doutora em matemática ela tem grande contribuição no que diz respeito a linguagem Cobol (que é utilizada nos dias de hoje em bancos, por exemplo).

E você pode nunca ter ouvido falar dela, mas certamente já ouviu os termos bug e debug, segundo relatos a Grace Hopper foi responsável pela criação desses dois termos.

Em 1945, enquanto escrevia um software para o computador Mark I, este parou de funcionar. Ao tentar encontrar o problema, achou uma mariposa (bug) interrompendo os circuitos da máquina e, ao retirá-la (debugging), a máquina voltou a funcionar. Deve-se lembrar que o Mark I era uma máquina imensa, com “três quartos de milhão de peças, oitocentos quilômetros de fios, várias rodas contadoras, mancais, garras de engate e relés”. A mariposa foi colada com fita adesiva em seu relatório, que hoje se encontra em um museu. Até os dias atuais, sempre que há um erro em um programa, diz-se que há um bug, e é necessário utilizar o debug para resolver o problema.

Ainda desenvolvendo seu trabalho em Harvad, “Hopper concebeu a idéia de escrever um programa que criasse um programa, ou nos termos atuais, construir um compilador” Carvalho (1).

Apesar das grandes contribuições para o legado da computação, as autoras ainda não são tão conhecidas no mundo acadêmico. Isso é até um pouco contraditório, pois usamos amplamente os resultados dos trabalhos delas no nosso contidiano sem saber a origem deles.

Por isso, é sempre legal contar esses feitos das nossas pioneiras, para que mais pessoas aprendam sobre a história da computação e as origens dessas contribuições tão importantes.

Fonte:

(1) Mulheres na informática: quais foram as pioneiras?

Autoras: Juliana Schwartz, Lindamir S. Casagrande, Sonia A.C. Leszczynski, Marilia G. de Carvalho.

* http://www.infopedia.pt/$maquina-analitica

Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *