Rosa é para meninas e azul é para meninos?

Olá,

Hoje vou comentar sobre um viral que circulou pela internet nas últimas semana. Trata-se de uma propaganda da marca GoldieBlox, para quem não conhece é uma marca de brinquedos e que agora está bastante conhecida pelo incentivo para aumentar o número de engenheiras.

No site é possível ver vários brinquedos que tem aparência atrativa e que sem dúvida são interessantes para as crianças. Vejo essa idea bem positiva, já que a nossa herana cultural ainda é marcante quando falamos de gênero. Ainda é bastante comum ver divisões do que “é para meninos” e o que pode ser feito por meninas.

Um desses exemplo são os cursos na área de ciências exatas, conforme a pesquisa da Catho de 2012 a Área de tecnologia conta com 16% de mulheres e a Engenharia com apenas 20%. Esses números são bem pequenos, demonstrando que embora a quantidade de pessoas cursando o nível superior tem aumentado, o número de mulheres ainda é reduzido em áreas historicamente com maioria masculina.

A ação da GoldieBlox é bem interessante por tratar do assunto de forma lúdica e assim incentivar a superar as questões de gênero e trazer naturalmente as mulheres para as áreas do conhecimento que ainda tem baixa participação feminina.

Não vou narrar o que acontece no vídeo porque é bem melhor assistir. 🙂 E vcs, o que acham desse tipo de ideia? Gostaram do vídeo?

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Sg4dhYlakJI

Prêmio Sebrae Mulheres de Negócios

Oi pessoal,

Quem acessa o blog por ter notado que “sumi” por uns dias, mas não esqueci de buscar novas infos para postar aqui. 🙂

Esta semana conheci o Prêmio Sebrae Mulheres de Negócios, para quem nunca ouviu falar segue um resumo sobre o assunto:

É o reconhecimento estadual e nacional às mulheres que transformaram seus sonhos em realidade, e cuja vida é exemplo para tantas outras mulheres que sonham ser empreendedoras.

O prêmio é uma parceria entre o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), a Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW) e a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

O interessante desse prêmio é que ele é voltado para mulheres empreendedoras com mais de 18 anos, ou seja, as mais jovens podem participar e podem ser até mesmo micro empreendedoras.

Todo ano o Sebrae disponibiliza o regulamento e fichas de inscrição no site http://www.mulherdenegocios.sebrae.com.br e tem algumas dicas de como escrever o seu relato de sucesso que também será avaliado no concurso.

O resultado final da premiaçãodeste ano para o reconhecimento nacional sairá dia 25 de fevereiro de 2014. Vale a pena ficar de olho no site para saber qual empreendedora se destacou nacionalmente.

Acredito que muita gente aqui conhece uma mulher empreendedora que poderia se candidatar a esse prêmio. Vamos ficar de olho para o concurso de 2014 e não deixe de comentar sobre ele com as mulheres empreendedoras que estão a sua volta!

Evento: Rails Girls Porto Alegre

As meninas do Sul terão um evento muito legal esta semana, o Rails Girls Porto Alegre. Algumas infos sobre o evento:

A descrição que está no site do evento:

“Sabia que você é capaz de criar um software, uma aplicação ou programa de computador, por exemplo, como o Facebook? Não faz ideia de como? Nós iremos te apresentar a este mundo mágico da programação, onde você escreve um texto e seu computador entende e faz tudo o que você quiser e puder imaginar! “

Os homens poderão participar do evento desde que acompanhados de uma mulher interessada em participar.

Quando: 22 e 23 de novembro de 2013

Site: http://railsgirls.com/portoalegre

Local: a confirmar.

As inscrições serão até o dia 18/11.

O evento é gratuito, portanto, não percam essa oportunidade! 🙂

Programa de Estágio para Projetos de Software Livre e Código Aberto

Software Livre e de Código Aberto são programas de computador que garantem a liberdade de usar, copiar, estudar, mudar e melhorar. Os colaboradores destes projetos baseados no software livre acreditam que esta é a melhor maneira de desenvolver software porque beneficia a sociedade, cria uma comunidade colaborativa alegre em torno de um projeto, e permite que qualquer pessoa faça mudanças inovadoras que atingem muitas pessoas.

Em um esforço para conseguir mais mulheres envolvidas em projetos de Software Livre e de Código Aberto, algumas organizações estão oferecendo programas de estágios que começará no dia 10 de dezembro e se encerrará no dia 10 de Março de 2014. O prazo para inscrição se encerra no dia 11 de novembro. A candidata precisa entrar em contato com o grupo do projeto em que estiver interessada em trabalhar e fazer uma pequena contribuição antes do prazo de encerramendo para inscrição. As organizações participantes são:

  • Debian – sistema operacional baseado no GNU/Linux;
  • Fedora – sistema operacional baseado em GNU/Linux;
  • GNOME – ambiente gráfico e conjunto de aplicações para desktop baseada no GNU/Linux;
  • Linux Kernel – o núcleo o sistema operacional GNU/Linux;
  • Mozilla – Instituição que promove os padrões da web e a Internet Aberta e descentralizada;
  • OpenStack – Implementação de software para gerenciamento na nuvem;
  • Wikimedia – Software wiki e infra-estrutura para a Wikipedia e seus projetos;
  • Projeto Xen – Plataforma para virtualização.

As participantes irão trabalhar remotamente a partir de sua casa, receberão orientação de um tutor designado dentro da equipe do seu projeto acompanhada pela comunidade de Software Livre e Código Aberto. Os projetos incluem o desenvolvimento de software, administração de sistemas, desenvolvimento web, design de experiência do usuário, design gráfico, documentação e marketing. As candidatas aceitas pelo programa receberão um incentivo financeiro de U$5.000 (cinco mil dólares norteamericanos) por sua participação. Qualquer mulher interessada e disponível para o programa de estágio em tempo integral e que não tenha participado das edições anteriores ou mesmo do Google Summer of Code será bem-vinda.

Por favor, visite o site http://gnome.org/opw para mais informações a respeito deste programa e para inscrição. Este programa é organizado pela Fundação GNOME. Por favor, ajude-nos a espalhar esta mensagem, envie para todas as universidades interessadas e grupos comunitários.

As oportunidades de orientação também estarão disponíveis durante todo o ano para qualquer pessoa interessada em começar a contribuir para projetos de Software Livre e Código Aberto fora deste programa de estágio.

Esta mensagem foi enviada por Marina Zhurakhinskaya colaboradora da empresa Red Hat para a lista sbc-l@sbc.org.br.

E-mail: marinaz@redhat.com

P.S.: Se desejar entrar em contato com a Marina, por favor enviar um e-mail na língua inglesa.

Feedback Feminino Software Freedom Day Curitiba (SFD)

O Software Freedom Day Curitiba – 2013, foi realizado no dia 21 de setembro, em um sábado com um bonito céu azul de manhã e um temporal na hora do almoço. Ao todo foram 174 inscritos e 110 participantes no dia. Na programação havia 5 palestras, sendo uma delas de uma mulher. Fiquei curiosa para saber o feedback feminino em relação ao evento, enviei um questionário para as 21 participantes do evento. Consegui 9 respostas, e resolvi fazer uma análise para verificar em quais aspectos o evento pode melhorar o apoio em relação a participação feminina.

O questionário que enviei continha as seguintes perguntas:

1. Qual a sua faixa etária?

2. Você trabalha em qual área?

3. Qual a sua profissão?

4. Você participa de algum grupo de Software Livre? Se sim. Qual?

5. Como você ficou sabendo do evento Software Freedom Day?

6. Durante o Software Freedom Day, você sentiu algum tipo de discriminação em relação as mulheres, como piadas ou termos ofensivos ? ( por parte da organização ou palestrantes) Se sim, relate o que aconteceu.

7. Você acredita que as mulheres se sentem intimidadas e por isso acontece a baixa participação delas em eventos na área de informática?

8. Qual o (os) fator(es) que você considera relevante para o menor número de participantes mulheres em eventos de informática?

9. Na sua opinião, o que poderia ser feito para aumentar o número de participantes mulheres em eventos de informática em geral?

10. Você gostou da programação do evento? O que gostaria de sugerir como melhoria para as próximas edições?

11. Você gostaria de contribuir na organização de futuros eventos na área de Software Livre?

Vamos as repostas! Das mulheres que responderam, apenas 2 não eram da área de informática, um destaque que pode servir de estratégia futura é que elas ficaram sabendo do evento por alguém muito próximo, como amigos, professores e namorado. Sendo assim, esse pode ser um caminho para conseguirmos “levar” mais mulheres para eventos de informática, estimulando essas pessoas a convidar suas amigas, namoradas, esposas, irmãs, etc.

Como em palestras, é comum apresentar exemplos do cotidiano e piadas para descontrair, resolvi perguntar se houve alguma piada depreciativa para mulheres. Para a minha alegria, não foi relatado o acontecimento de nenhuma brincadeira ofensiva às mulheres, seja por parte dos palestrantes ou organização.

Aproveitei para saber se elas acreditam que as mulheres ainda tem um sentimento de intimidação em participar de eventos na área de informática e somente uma pessoa acredita que esse fator também reflete na baixa participação feminina nesses eventos. Um dado mencionado é que a intimidação pode acontecer devido a informática historicamente tem uma grande participação masculina e as mulheres, por serem minoria ainda hoje sentem uma certa intimidação. O lado positivo é que isso vem diminuindo devido ao aumento da participação de mulheres, desde cursos técnicos até a graduação.

Quando questionadas sobre o que pode ser feito para aumentar a participação feminina em eventos de informática, foi mencionado que poderia ser inserido na programação alguns tópicos para iniciantes e divulgação voltada para o público feminino.

Gostei bastante das respostas e pretendo continuar com esse tipo de pesquisa nos próximos eventos que eu participar da organização. A área de informática ainda tem a maioria masculina, mas podemos mostrar que isso não deve ser um fator intimidador para as mulheres. Como em qualquer outra área, existem particularidades e dificuldades, no entanto, podemos fazer com que a participação feminina seja para fortalecer e melhorar.

V Forum de Tecnologia em Software Livre

Oi Pessoal,


Hoje tenho um convite especial para o pessoal de Curitiba 🙂

Na próxima semana vai acontecer no dias 24 e 25/10 o V Forum de Tecnologia em Software Livre. Será realizado na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), ao lado do shopping Estação.

A programação está bem bacana, com minicursos e palestras. Quem puder comparecer será muito bem vindo, no dia 24 vou ministrar a palestra:


Estimulando a participação das mulheres na tecnologia e em projetos de Software Livre.

Segue o resumo:
A área de tecnologia é usualmente conhecida pela ampla participação masculina. Embora nos últimos tempos o número de mulheres que atuam nessa área tenha aumentado, ainda é pequeno quando comparado ao de homens. Essa palestra busca refletir sobre os fatores que colaboram para manter essa diferença entre os gêneros e formas de estimular a participação de mulheres na tecnologia. Além disso, visa fomentar o debate em torno da participação feminina em projetos de Software Livre e comunidades relacionadas a tecnologia e como cada indivíduo pode colaborar nesse processo.


Horário: 16h00-17h00
Palestrante: Adriana Cássia da Costa
Dia: quinta-feira, 24 Outubro, 2013
Local: Sala de aula 4


Agradeço a quem puder divulgar!

Iniciativas interessantes: igualdade de gêneros

Olá,

Hoje vou começar um tópico sobre iniciativas relacionadas a inclusão de mulheres na tecnologia e que também estimulem a igualdade de gênero. Há algumas semanas, um link apareceu na minha timeline do Facebook. Achei interessante e descobri que se tratava do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, abaixo uma pequena descrição sobre o prêmio.

“Consiste em um concurso de redações, artigos científicos e projetos pedagógicos na área das relações de gênero, mulheres e feminismos e tem por objetivo estimular e fortalecer a reflexão critica e a pesquisa acerca das desigualdades existentes entre homens e mulheres em nosso país e sensibilizar a sociedade para tais questões.”

O bacana desse prêmio, é que ele é dividido em cinco categorias: estudante de Ensino Médio – redações; Estudante de Graduação – artigos científicos; Graduado(a), Especialista e Estudante de Mestrado – artigos científicos; Mestre e Estudante de Doutorado – artigos científicos; e Escola Promotora da Igualdade – projetos para as escolas de nível médio.

Essa divisão em categorias permite a participação de um público grande, acredito que se houver estímulos nas escolas e faculdades será possível começar a discutir o assunto desde o ensino médio até o doutorado.

Além disso, é uma grande chance de começar a pensar na questão da desigualdade de gênero e a trabalhar para que possamos formar pessoas mais solidárias e conscientes do seu papel na sociedade.

A submissão de trabalhos para este ano vai até 18/10, no site também é possível encontrar no site alguns resumos de edições anteriores. Existem alguns trabalhos que abordam as mulheres na áre de tecnologia. O que vocês acham desse tipo de iniciativa?

Para quem quiser conferir o link é: http://www.igualdadedegenero.cnpq.br/igualdade.html

O nosso papel na inserção de mulheres na TI

Olá,

Encontrei um texto bastante interessante que nos leva a uma reflexão sobre o papel das pessoas na inserção de mulheres na área de tecnologia. O texto foi traduzido pela Camila Achutti e publicado no blog Mulheres na Computação, vale a pena a leitura.
Depois que li esse texto, fiquei com a seguinte questão na cabeça: Será que estamos fazendo a nossa parte para evitar esse tipo de situação?

http://mulheresnacomputacao.com/2013/09/10/para-o-professor-de-programacao-da-escola-da-minha-filha/