mulheres

Pesquisa: Como aumentar a participação de mulheres em eventos de WordPress?

Olá!

O post de hoje começa com uma pergunta e também com um pedido de colaboração para ajudar a encontrar as respostas para essa questão!

A comunidade WordPress lançou uma pesquisa com o objetivo de identificar os pontos que podem ser melhorados para aumentar a participação das mulheres nos eventos que a comunidade organiza.

A pesquisa é bem rápida de responder, então vamos ajudar a descobrir como aumentar o número de mulheres nos eventos de WordPress?!

Acesse o link da pesquisa aqui

Conheça Mais: Woman & Mozilla – WoMoz

Hoje vamos conhecer mais o grupo WoMoz, o texto foi cedido pela Melissa Devens, obrigada pela contribuição! 🙂

WoMoz Brasil, a tecnologia feita por todos
O WoMoz (Woman & Mozilla) nasceu no ano de 2009 dentro da Mozilla, com o principal objetivo de criar um ambiente melhor e mais convidativo para mulheres dentro do mundo da tecnologia, em especial no universo de software livre e de código aberto, além de, claro, dar mais visibilidade ao
trabalho destas pessoas. Desde sua criação, o projeto teve altos e baixos e foi retomado no mundo inteiro no ano de 2014. Aproveitando esta retomada, a comunidade Mozilla Brasil resolveu adaptar o projeto à sua realidade local e fundou o WoMoz Brasil.

O WoMoz Brasil nasceu da motivação pessoal que alguns voluntários da Mozilla Brasil possuíam em ter um ambiente mais inclusivo dentro da comunidade, que assim como qualquer outracomunidade focada em projetos de tecnologia, tem predominância do sexo masculino na sua composição. Incentivar a participação de mais mulheres para a comunidade e mostrar que elas são tão importantes quanto qualquer outra pessoa, é um dos objetivos do WoMoz Brasil. Apesar de ter foco principal em mulheres, o WoMoz, diferente de outros projetos, não é exclusivo para elas. Na verdade, o WoMoz quer criar um ambiente melhor para todas as pessoas que fazem parte de uma minoria, ou seja, independente de gênero, cor e posicionamento religioso, queremos mostrar que a tecnologia é feita por todos e que o respeito está acima dos rótulos.

O que já aprontamos por aí?
Apesar de ter menos de um ano de atuação no Brasil, o projeto já esteve presente em diferentes eventos como Campus Party 2015, Semana Acadêmica da Feevale, IX Solisc, Expotec, Dia da Mozilla no IFRS, RSJS e vários outros. Em todos eles, o principal objetivo era apresentar o projeto
e convidar pessoas para juntas construírem e moldarem o WoMoz Brasil. Além da participação nestes eventos, o WoMoz ainda organizou um grande evento de inauguração do projeto no Brasil.

O WoMoz Week Brasil, realizado em parceria com o Webmaker Brasil, foi a forma encontrada para homenagear as mulheres, no dia internacional da mulher, e marcar o início das ações concretas do projeto para com a sociedade brasileira. O local escolhido para a realização do evento foi a cidade de Gaurama, localizada no norte do estado do Rio Grande do Sul, com aproximadamente 5800 habitantes. O município recebeu o WoMoz de braços abertos e até montou um telecentro na zona rural, levando acesso à internet a lugares onde antes nunca havia chegado. Para realização do evento, foi instalado um repetidor de sinal de internet a rádio no meio de uma plantação, o qual é alimentado via energia solar. Foram então convidadas mulheres do campo que nunca haviam tido contato real com o computador.

Na verdade, muitas delas até possuíam uma máquina em casa, mas por medo, receio, e outros motivos, elas nunca haviam ligado o PC/notebook e muito menos usado para navegar na internet. O maior objetivo com isso era que estas mulheres perdessem esse medo que as impedia de aprender os benefícios que a web poderia oferecer a elas. Mesmo com a grande resistência encontrada no momento do convite, onde muitas já diziam ter medo mesmo antes de tentar, compareceram às 10 oficinas mais de 150 mulheres.

Todas as participantes afirmaram que perderam o medo de lidar com o computador e em sua grande maioria perguntaram como poderiam continuar aprendendo a partir dali. Sem dúvidas, os objetivos do WoMoz foram atingidos nesse evento. E é este o espírito que o projeto quer levar adiante, seguindo a filosofia da Mozilla, de garantir o acesso a web à qualquer pessoa, e também a do WoMoz, não importando a qual minoria essas pessoas façam parte.

Onde você pode nos encontrar?
O WoMoz estará presente no FISL 16, com palestras e muitas outras atividades. Também estaremos na Campus Party Recife, junto com a comunidade Mozilla Brasil e no Latinoware 2015. Se você estiver presente em algum destes eventos, não deixe de procurar algum de nossos voluntários para conversar sobre o projeto.

Além disso, o WoMoz também estará presente em outros eventos locais e regionais. Mais informações sobre outros eventos sempre podem ser encontradas no site do WoMoz Brasil: http://womoz.mozillabrasil.org.br.

Como participar?
Se você se identificou com a causa do WoMoz e quer ajudar, saiba que todos são bem vindos. Para ter mais informações acesse nosso site (http://womoz.mozillabrasil.org.br) e localizar os voluntários e atividades mais próximas de você. Vale lembrar que através do projeto, você também pode colaborar em outras áreas da Mozilla, como desenvolvimento, tradução e revisão, educação e muitos outros. Além disso, há uma lista de e-mails por onde os voluntários do projeto se comunicam.

Você pode inscrever-se na página da lista (mzl.la/listawomoz).
Os voluntários do WoMoz Brasil costumam reunir-se toda segunda quarta-feira de cada mês para uma conversa online. Caso queria participar, basta nos enviar um e-mail pelo site ou assinar nossa lista de e-mails. O WoMoz é um projeto muito novo no Brasil e está sempre aberto a sugestões e ideias.

Buscamos pessoas inspiradas para nos ajudar a crescer e criar um ambiente mais saudável para todas as minorias. Como dizem vários dos membros da Mozilla Brasil: “O futuro da web está em nossas mãos — venha lutar com a gente“!

Mulheres que nos Inspiram

Olá!

Como estamos praticamente na metade do ano pensei que seria legal ter um post com as mulheres que nos inspiraram no primeiro semestre de 2015.

Aconteceram algumas premiações e tivemos brasileiras em destaque o que é muito importante para nós, esse reconhecimento é fundamental para estimular a participação em áreas que são poucos exploradas.

A primeira delas é a Profa. Dra. Thaisa Storchi Bergmann, recebeu o Prêmio Internacional Loreal-UNESCO para Mulheres na Ciência 2015 por seus estudos sobre buracos negros.

A Profa. Dra. Clarisse Sieckenius de Souza, do Departamento de Informática do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, foi incluída em um baralho criado pelo Notable Women in Computing estampado com fotos de 54 notáveis especialistas na área. É possível comprar o baralho pela internet, confira também as outras mulheres que foram homenageadas.

A Camila Achutti conhecida pelo site Mulheres na Computação recebeu o Prêmio Student of Vision 2015 – destinado a estudantes inovadores com ideias tecnológicas que podem impactar o mundo.

A Mariana Vasconcelos ganhou uma bolsa de estudos para estudar em uma universidade dentro de uma unidade da Nasa após ter encontrado uma solução para ajudar a resolver a questão da falta de água.

Sim, Teremos mais mulheres nos eventos de Software Livre!

Esse ano o Fórum Internacional de Software Livre – FISL e a Conferência Latino-americana de Software Livre – Latinoware, os dois maiores eventos de Software Livre do país, estão promovendo iniciativas para aumentar a participação de mulheres palestrando. Os eventos terão a participação feminina maior e espero que seja grande também em relação as participantes.

Lembro que na edição de 2013 do FISL a Valéria Aurora, diretora executiva e co-fundadoda da Ada Initiative, participou do evento e comentou sobre a pouca participação de mulheres em eventos de Software Livre, ela também elogiou o FISL por estabelecer uma política anti-assédio e ter mulheres palestrantes no evento.

Então, nada melhor para atrair as mulheres para um evento de software livre do que ter elas ministrando palestras/oficinas, certo?

Pois bem, em 2015 tive grata surpresa de ver na página de convidados(as) no site do FISL até o momento 26 mulheres, de um total de 52 pessoas. Está praticamente meio a meio a divisão entre homens e mulheres!

Sendo que para as atividades que são somente mulheres participando o evento terá (até agora):

  • 19 palestras ministradas exclusivamente por mulheres, sendo 2 internacionais: a Karen Michele Sandler e a Deborah Anne Nicholson;
  • 4 painéis;
  • 5 oficinas;
  • 12 mulheres nas atividades diversas divididas com homens.

Outra supresa boa do FISL é que as mulheres convidadas tem perfis diversos, temos desenvolvedoras, ativistas, pesquisadoras, professoras, autora de livros técnicos, jornalista entre outras áreas tudo para gerar boas discussões e troca de experiências!

O FISL vai acontecer de 08 a 11 de julho no Centro de Eventos da PUCRS, as inscrições estão abertas e estudantes tem desconto, para mais informações acesse o site aqui.

Em relação a Latinoware deste ano já conta até agora com 8 mulheres na programação, como o evento vai acontecer de 14 a 16 outubro na ITAIPU e a programação e submissão de palestras ainda não tem data prevista, mesmo assim esperamos que a quantidade de mulheres também aumente.

Para acompanhar as notícias da Latinoware acesse o site aqui.

Fiz esse post porque em eventos de tecnologia em geral é muito comum ter um número reduzido de mulheres e ver esses eventos com a participação feminina maior é muito gratificante.

Participo da organização de alguns eventos noto que as vezes é comum passar despsercebido a quantidade mínima ou nenhuma de mulheres na programação mesmo quando temos opções boas. É sempre bom e importante ter pessoas na organização que pensem em levar maior diversidade de gênero na programação, pois isso certamente só vai somar para aumentar a qualidade do evento.