Olá!

Depois de um tempo fora do ar estamos de volta entrevistando mulheres inspiradoras! Hoje vamos conhecer um pouco sobre a trajetória da Mary Camila! Ela nasceu em Xânxere – SC e atualmente mora atualmente em Curitiba – PR, trabalha há 3 anos na área de desenvolvimento de software e é Programadora na empresa Villa IT.

Blog: Conte um pouco sobre a sua história na área, o que levou a escolher a TI, se passou por alguma dificuldade na área e quando começou a trabalhar na área.

Quando eu tinha 13 anos minha mãe pediu para que eu fizesse um curso de informática, pois ela dizia que seria muito útil futuramente (e não é que foi mesmo =D) e neste curso tive uma introdução a programação e foi nesse momento que me apaixonei pela área. O simples fato de eu fazer uma página com um Hello World me fascinou! A partir deste momento decidi que iria continuar na área de TI. Com 17 anos comecei Sistemas de Informação na UTFPR, porém por problemas pessoais tive que deixar mas não parei por aí, logo entrei no Colégio Estadual do Paraná para cursar o técnico em Programação.

Me formei e no ano seguinte comecei Sistemas de Informação na Universidade Positivo, aonde estou atualmente. Dificuldades e preconceito existe na área mas o fato que mais me marcou foi entrar numa sala de aula que tinha 44 alunos porém somente 4 mulheres. Comecei a trabalhar na área em 2013 como técnica em informática, logo depois peguei alguns estágios de desenvolvimento para adquirir experiência. No começo de 2015 peguei meu primeiro emprego na área como programadora Java e atualmente trabalho como Programadora C#.

Blog: Existe alguma mulher na área da TI que serve ou serviu de inspiração para você?

Sim, gosto muito da história da Grace Hooper, ela foi a primeira mulher a conseguir doutorado em matemática na Universidade de Yale. Não somente isso claro ela tem mais de 40 doutorados honoris causa, a medalha de Serviço Distinto da Defesa a Medalha Nacional de Tecnologia, e um destróier da Marinha americana leva seu nome: USS Hopper. Uma curiosidade também sobre ela é que ela foi responsável por uma expressão bem famosa, o ‘bug’. A história é mais ou menos a seguinte: erros foram detectados no Mark II, que era um computador da época, e após a verificação, foi encontrado um pequeno inseto entre as conexões. O caso foi um problema e partiu daí o nome para os erros de software.

MaryCamilaaBlog: Qual a sua indicação de um livro para iniciantes em TI?

Um que achei muito bacana e que me ajudou quando comecei foi o “Codificador Limpo” do Robert C Martin.

Blog:: Qual a sua indicação de um site  sobre TI?

Para desenvolvimento e para tutoriais gosto muito do  Imasters e do Devmedia . Já para notícias acho o portal bitmag muito bacana.

Blog: Qual evento que você indica na área de TI

Para a comunidade de desenvolvimento indico sempre o The Developers Conference pois tem uma série de trilhas de diversos assuntos e também a possibilidade de fazer workshops bem legais. Tem também o Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, onde ocorrem seminários, cursos, concursos e workshops também. Para entretenimento e lazer juntamente com conhecimento indico a Campus Party, pois há diversas palestras de desenvolvimento, empreendedorismo, hackathons, entre outros. Lembrando que aqui em Curitiba temos também as comunidades GDG e .NET que sempre promovem encontros, meetups e cursos muito bacanas para quem quer começar na área ou até se aperfeiçoar.

Blog: Na sua percepção (cotidiano de trabalho e vida pessoal) o número de mulheres na TI aumentou nos últimos anos ou diminuiu? O que você acredita que contribuiu para o aumento/redução?

Na parte acadêmica o número de mulheres ingressantes nos cursos está baixo, ou seja, numa turma de 40 alunos 10 a 20% são mulheres. Já na parte profissional as vezes não chega nem a 10% da equipe, porém a cada dia que passa percebo que estamos conquistando nosso lugar. Na minha opinião, alguns anos atrás havia uma cultura que desde pequenas as meninas eram incentivadas a brincar com bonecas, fazer comida no fogão de brincadeira, entre outras que reforçavam o estereotipo de gênero e querendo ou não esse tipo de atitude vai moldando a personalidade da criança, claro que não posso generalizar, mas é o que tenho observado. Do mesmo jeito que meninos eram incentivados a jogar video game e jogar futebol. Porém venho notado uma significativa melhora nessa situação, meninas e meninos brincando com legos, jogando muito video game, ou seja, está havendo mais igualdade.

Blog: Qual a sua mensagem de incentivo para as mulheres que trabalham na TI?

Minha mensagem é que nem o preconceito ou qualquer outro fator pode lhe impedir de alcançar seus sonhos e seus objetivos.

Blog: Quais são os seus contatos para quem quiser falar com você?

Facebook

Email: marycamilainfo@gmail.com

Página do WTM Curitiba

Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *